Rádio Pioneira
Cotações de Tangará da Serra em 21/11/2014: Algodão Pluma em Campo Novo: R$ 49,40/ Arroz: R$ 43,30 | Bovino: R$ 127,32| Milho: R$ 16,45 | Soja: R$ 57,23 / Fonte: Agrolink
Conheça nossos parceiros



enquete

O que você pensa do aumento nos combustíveis?

Deveria ter sido anunciado antes das eleições
Era necessário por causa dos índices de inflação
Vai causar aumento em todos os outros produtos
Classificados, clique e confira!

Notícias / Geral

Tangará da Serra

Justiça defere pedido e suspende Concurso Público em Tangará

terça-feira, 03 de julho de 2012

A justiça de Tangará da Serra através do juiz Cláudio Roberto Zeni deferiu o pedido de suspensão do Concurso Público de Tangará da Serra. Na última semana o Ministério Público Estadual, encaminhou Notificação Recomendatória à Promotoria de Justiça de Tangará da Serra, pedindo a suspensão do concurso público, sob alegação de que a empresa contratada, no caso Instituto Cidades, não possui idoneidade.


Contrariando a defesa da empresa, a qual alega que o MP utilizou apenas de ‘provas’ divulgadas na internet como base da denúncia, o juiz cita em sua decisão que “O MP fez prova documental mínima, porém sumária e eficiente, de que o Instituto Cidades, não possui reputação ético-profissional como acredita a municipalidade, na medida em que dados extraídos da internet, vinculam seu nome a escândalos de fraudes em concursos públicos, bem assim a diversas rescisões contratuais por irregularidades nos serviços que prestou”.


O juiz aponta ainda que “os documentos que acompanham a exordial demonstram fatos em desfavor do co-réu Instituto Cidades, dentre eles (1) que o Ministério Público Federal de Mato Grosso se valeu de Ação Civil Pública para suspender concurso semelhante ao presente, que o Creas/MT estava realizando (fls.595/597); (2) que o Tribunal de Justiça da Paraíba manteve sentença através do qual a Prefeitura de Cajazeiras foi obrigada a cancelar concurso realizado pelo Instituto Cidades (fls. 512/513); (3) que o Presidente do Instituto Cidades já teve sua prisão decretada pela justiça de Manaus, por indícios de fraude no Concurso Público para o cargo de Defensor Público, daquele Estado (fl.522); (4) que o Instituto Cidades teve rompido vários contratos com prefeituras do Brasil afora, por conta dos mais variados problemas invariavelmente ligados a falta de lisura e legalidade no modo de proceder empresarial”


O magistrado destaca que o Município dispensou licitação para contratação dos serviços prestados pelo Instituto Cidades, o que não pode ocorrer em hipótese alguma.


DECISÃO - Com base na decisão da justiça local, através do art. 461, § 5° do CPC, para o fim de assegurar o resulto prático da presente decisão e em especial com o propósito de resguardar o patrimônio de cada qual dos candidatos inscritos, o juiz determina que o Instituto Cidades em cinco dias informe e comprove nos autos quantas inscrições já foram realizadas, depositando neste processo o valor total de todas elas, sem retenção de qualquer montante, a qualquer título que seja, na medida em que aceitou ser contratado pelos chamados riscos de contrato, devendo o co-réu, Município de Tangará da Serra, realizar tudo o que for necessário para que o depósito pecuniário em questão, ocorra como ora determinado.


DESCUMPRIMENTO – Em caso de descumprimento da decisão, a justiça fixará multa de R$ 20 mil à Prefeitura Municipal, Secretário de Saúde assim como ao presidente do Instituto Cidades.

Fonte: Lucélia Andrade - Da Redação

comentar

indicar

comentários

Seja o primeiro a Comentar!


Newsletter

Cadastre-se e receba nossas novidades em seu e-mail.

Pedido Musical


Fotos dos internautas