12/02/2015 08:59

Quantidade de visualizações: 955

Roberto Weber com Gilvan Melo

Foto: Gilvan Melo / Rádio Pioneira

Uma parceira realizada entre o Governo Municipal de Tangará da Serra através da Secretaria de Agricultura junto ao Sindicato Rural disponibilizará aos interessados um curso de instrução e preparação do SENAR – Serviço Nacional de Aprendizagem Rural para o trabalho da Piscicultura na cidade.


O Secretário Municipal de Agricultura Ander Santos relatou à reportagem da Rádio Pioneira nesta quarta-feira (11) que a intenção é difundir a cultura da criação de peixes em ambiente controlado considerando o grande número de recursos hídricos da cidade.


“Este curso tem foco nos trabalhadores e proprietários de espaços rurais que já lidam com a piscicultura. Mas é importante reforçar também que aqueles que desejarem aprender sobre o tema, mesmo sem hoje estar executando a atividade”, comentou Ander.


O curso possui duração de 40 horas, com inicio no dia 23 e término em 27 de Fevereiro de 2015 e será ofertado de forma gratuita aos participantes, com um limite de 15 vagas ao todo. Entre os requisitos estão exigidos estão: idade superior a 18 anos e alfabetização concluída.


“Serão aulas práticas, então, é necessário domínio sobre si, onde um jovem ou adolescente poderia correr risco, por isso a idade superior a dezoito anos”, explicou o secretário.


As inscrições estão sendo realizadas através da própria Secretaria de Agricultura junto a Prefeitura Municipal, onde é necessário apenas o preenchimento de um formulário para concluir a inscrição.


“É preciso disponibilidade dos participantes, porque, ele será realizado em 5 dias, com carga de 8 horas por dia”, pontuou Ander.


Ainda conforme o Secretário, o mercado é amplo e o segmento pode ser mais bem explorado:


"O Mato Grosso tem em sua dieta tradicional o consumo do peixe. Nós competimos com outras regiões do país de forma equilibrada, justamente porque há um mercado amplo, forte. Temos, por exemplo, a merenda escolar onde o peixe agora está inserido, então, somente nesse exemplo já há uma necessidade de produção muito interessante, sem observar propriamente as outras áreas que também possuem este consumo”, reforçou ao lembrar que na capital do Estado o abastecimento acontece já pela piscicultura, porém, ainda há a necessidade de importação de outras regiões em virtude da falta de produção.


O curso, conforme Ander Santos deverá disponibilizar aos participantes as noções básicas da atividade de forma prática, beneficiando quem já atua na cultura quanto quem ainda não iniciou a atividade.