04/05/2015 15:41

Quantidade de visualizações: 576

Marlenne Maria - da Redação Pioneira

O programa foi ao ar na manhã da última sexta-feira (01), com o propósito de refletir sobre o momento vivido pelos trabalhadores. Estiveram representados setores diversos, com cada um dos debatedores contribuindo para com as reflexões.


Vanderlei Reck Júnior, presidente do Sindicato Rural de Tangará da Serra, iniciou sua fala destacando que o momento vivido no país dificulta a vida do trabalhador brasileiro. “É um prazer parabenizar toda a pessoa que trabalha, acorda cedo para manter o sustento da família e fazer este país ir pra frente. Infelizmente, pelo momento político que estamos vivendo, não está sendo suficiente o trabalho árduo nosso do dia a dia para fazer as coisas mudarem”.


Edgar Laurini, presidente do Sindicato dos Caminhoneiros de Tangará da Serra destacou a falta de assistência à categoria no que diz respeito à saúde. “A saúde do caminhoneiro hoje está em fase crítica. O caminhoneiro hoje não tem muita atividade física, até para cuidar da saúde dentária ou fazer um pequeno exame, não há um local adequado para este atendimento. E nós pagamos por isto. Todos têm descontos de taxas com este propósito, mas não existe”.


O Empresário e Comerciante Leoclides Bigolim disse sobre este tema, que no comércio só tem atendimento à saúde os empregados das empresas que tem convênios. “Quem não tem convênio, não tem. Os políticos deveriam ser proibidos de falar em saúde, porque se elegem prometendo saúde e depois que entram se depender da saúde pública, o trabalhador morre”. Em relação à data comemorativa, o empresário afirmou: “Vamos mudar este dia, porque muitos entendem dia do trabalho como dia do empregado, e é dia do trabalhador”.


Representando a Indústria, o empresário Wagner Gouveia ressaltou que a data é bastante abrangente. “Quando se fala em trabalhador, temos que exaltar realmente aquele que trabalha. Não só aquele que tem carteira assinada, mas também os empreendedores. Temos hoje mais de 55 milhões de empreendedores que são trabalhadores, que movimentam, criam divisa e fazem este país ser cada dia mais grande. E nosso companheiro de carteira assinada, que está em todos os setores também. Esta é uma data memorável, porque quando se olha para o passado, vê-se que antigamente o trabalhador era um escravo. Esta data é importante e vale ser comemorada. Parabéns a todos os trabalhadores”.


Heloíza Zuconelli, integrante do grupo APROSOJA, ressaltou que o que falta no país é educação. “O problema principal, que resolveria em grande parte isto, é a educação. Então, não tem outra maneira de você ter uma boa saúde. Primeiro, do trabalho, para que entenda que o trabalho é necessário isso começa com alguém ensinando em casa ou na escola, que trabalhar é bonito, é digno e engrandece o homem. Isto não tem acontecido. As pessoas acham feio trabalhar”.