07/05/2015 07:23

Quantidade de visualizações: 657

Marlenne Maria com Heverton Luiz

Fotos: Heverton Luiz/Rádio Pioneira

O evento foi organizado pelo Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal e conta com a participação de técnicos dos 25 municípios da região de abrangência do pacto. A parte teórica do curso foi ministrada na manhã de ontem na sede do Sindicato rural, onde foram mostrados trabalhos já executados, bem como a forma como deve ser feita a readequação da estrada em todos os aspectos técnicos.


Já ontem (06) à tarde, teve início o trabalho de campo junto com a Secretaria de Infraestrutura de Tangará da Serra, com equipamentos e profissionais da pasta já realizando ações na estrada do Queima Pé.


O Engenheiro Agrônomo Décio Elói Siebert, integrante do grupo organizador, destacou a importância do evento. “É muito importante porque mostra inclusive o interesse da Itaipu Binacional em formalizar esta parceria com o pacto em defesa das cabeceiras do pantanal, disponibilizando estes técnicos para virem ministrar este treinamento”, disse ele, ressaltando ainda a presença de autoridades diversas da região.


O palestrante Vilmar de Freitas, técnico da Itaipu Binacional disse à reportagem Pioneira que o projeto que vem sendo desenvolvido desde 2013 no Paraná, tem apresentado excelentes resultados. “Viemos falar um pouco sobre as experiências da Itaipu com a readequação das estradas. O objetivo é implantar em Tangará e região este trabalho que a Itaipu tem feito no Paraná. Nosso trabalho cultivando água Boa tem como uma de suas ações a adequação de estradas, que é erguer a estrada, fazendo que fique mais alta do que o nível da lavoura ou da pastagem, fazendo c om que a água escorra para dentro da lavoura, sendo distribuída uniformemente”.


O Prefeito Fábio Martins Junqueira ressaltou os vários benefícios que trará para a região o trabalho de readequação das estradas vicinais. “Nós iniciamos um período de recuperação de estradas agora com o fim da estação das chuvas e é propício para isto. É neste período que se recuperam as estradas não pavimentadas. Este momento é importante para se trocar experiências, ver soluções adotadas em outras regiões e trazer para Tangará estas práticas que são salutares para manutenção das estradas, para escoamento de safras e preservação ambiental. As águas devem ser conduzidas para dentro das propriedades, exatamente para manter a umidade do solo e conservação das estradas, mantendo também os mananciais. Assim, agradecemos a vinda destes técnicos que é muito importante para nós porque trazem experiências já consolidadas na região da Itaipu e que podem contribuir sobremaneira para a qualidade e manutenção de nossas estradas”.