Localizado no exuberante divisor das águas das bacias Amazônica e do Prata, o Município de Tangará da Serra, originou-se em 1959, emergente do antigo povoado surgido pelo loteamento das glebas Santa Fé, Esmeralda e Juntinho, localizadas no município de Barra do Bugres. O impulso para a fundação de Tangará deu-se com a fundação da SITA – Sociedade Imobiliária Tupã, pelos então sócios Júlio Martinez, Dr. Fábio Licere e Joaquim Oléa.

O primeiro desbravador da região foi o Marechal Cândido Rondon, que ainda em 1913 passou pela região deixando suas marcas, quando auxiliado pelos índios Parecis e Nhambiquaras, implantou o telégrafo e fez registros importantes da flora e fauna locais. Rondon foi quem abriu a rodovia que sobe os chapadões dos Parecis, região que ainda guarda marcas de sua passagem, como sua casa, hoje transformada em Museu e uma ponte construída sobre o Rio Sepotuba em Tangará da Serra.
A extração da poaia, planta com propriedades medicinais, bem como a extração de madeira deram sequência à colonização da cidade, seguida do início da atividade agropecuária, esta ainda hoje bastante expressiva no município.

A cidade foi batizada com o nome de Tangará da Serra numa referência ao Pássaro Tangará, ave canora então abundante na região e também à Serra do Tapirapuã, dada a sua imponência. A emancipação deu-se em 13 de maio de 1976, quando foi sancionada a lei Nº 3.687. A primeira equipe do Poder Executivo Municipal foi comandada pela prefeita Thaís Bergo Duarte Barbosa (1976/1981), seguida por Antonio Porfírio de Brito (1982/1988), Manoel Ferreira de Andrade (1989/1992), Saturnino Masson (1993/1996, Jaime Luiz Muraro(1997/2000 e 2001/2004), Julio Cezar Davoli Ladeia (2005/2008 e 2009/2011), sendo o atual Prefeito Saturnino Masson, eleito para um mandato tampão (2011/2012) em eleições indiretas. No dia 1 de Janeiro de 2013 Fábio Martins Junqueira tomova posse do cargo. Mas em 21 de maio de 2014 a Mesa Diretora da Câmara Municipal de Tangará da Serra publicou o Decreto 0675/2014, que declarou extinto o mandato do prefeito, a extinção do cargo deu-se em virtude de sentença condenatória de suspensão dos direitos políticos, transitada em julgado, no mesmo ato a Câmara notificou ao vice-prefeito José Pereira Filho, o “Zé Pequeno”, para tomar posse, o que ocorreu em 22 de maio de 2014. No entanto, em 25 de novembro de 2014, Fábio Martins Junqueira assumiu novamente a prefeitura de Tangará da Serra, depois da decisão ter sido publicada no site do Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Desta forma, juntamente com a certidão de quitação eleitoral, o prefeito afastado retornou ao cargo.

População: A população estimada é de 102.056 habitantes (IBGE – 2014), bastante miscigenada, com predominância de imigrantes do Sul e Sudeste do país. Tangará da Serra é o 5º município do Estado de Mato Grosso na análise do volume de habitantes, ficando atrás apenas de Cuiabá, Várzea Grande, Rondonópolis e Sinop.

Economia: A economia do município baseia-se na produção agropecuária, nas últimas décadas fortalecida pela indústria de transformação, especialmente na área de alimentação. Devido à alta fertilidade do solo, diversas culturas estão implantadas, destacando-se atualmente algodão, arroz, feijão, milho, soja, cana-de-açúcar, abacaxi, como culturas anuais. É expressivo também o rebanho bovino, bem como a avicultura no município que alcançou grande crescimento nos últimos anos.

Pontos turísticos: O município destaca-se pela beleza de seus muitos pontos turísticos, sendo o principal deles, a Cachoeira Salto das Nuvens (Localizada no Rio Sepotuba). Destacam-se ainda: Mirante da Serra, Pesqueiro Piracema, Cachoeira Salto Maciel (Localizado no Rio Sepotuba), Rio Sepotuba, Rio Formoso, Rio Queima-pé, Córrego Estaca, Balneário Biquinha, Rio Ararão, Rio Juba, Córrego Mina Azul, Pedra Solteira (localizada na Serra Tapirapuã) e o Bosque Municipal.